quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Os Aços Inoxidáveis Duplex, Superduplex e Hiperduplex (Parte II)



(continuação de "Os Aços Inoxidáveis Duplex - parte I")

O desenvolvimento dos superduplex foi mais um passo para ir ao encontro das exigências de uma indústria moderna que requer a utilização de materiais com elevado desempenho e baixo custo.
As principais características dos superduplex prendem-se com as suas elevadas resistências à corrosão e mecânica e a possibilidade de competir, em termos de custo, com outros materiais tais como os aços inoxidáveis superausteníticos e as ligas de níquel. Apesar da sua grande abrangência de aplicações e elevada resistência à corrosão a temperaturas próximas da temperatura ambiente, os superduplex, possuem algumas limitações no que diz respeito a temperaturas de trabalho elevadas. Houve, então, necessidade de desenvolver um novo material para suprir esta necessidade – o hiperduplex.
O objectivo principal do lançamento do hiperduplex foi a sua aplicação em ambientes que associam os elevados teores de cloretos e as temperaturas de trabalho elevadas, tais como, permutadores de calor refrigerados com água do mar e condensadores de topo onde a temperatura de operação e os teores de cloretos geralmente provocam corrosão; este duplex além de possuir uma resistência à corrosão mais elevada, em ambientes contendo cloretos, possui também uma acrescida resistência mecânica.
A utilização de hiperduplex pode traduzir-se numa enorme redução de custos a nível de manutenção industrial, uma vez que o período entre manutenções aumenta, significativamente, e porque pode competir com materiais bastante mais dispendiosos como as ligas de níquel ou o titânio.

Joana leal
Laboratório de Ensaios - Metalografia


 

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Study Group on Safety for Human Machine Interactions

O CATIM, representado pelo Eng. Alberto Fonseca da Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos, participou no 1ª reunião (e-meeting) deste grupo de estudo internacional no passado dia 08 de Outubro, constituído por 26 especialistas no âmbito do ISO TC 199 (Safety of Machines). Este grupo tem como objectivo o estudo do tema e o desenvolvimento de uma norma que aborde a interacção homem-máquina e que trate os danos físicos provocados pelas máquinas ou partes destas em movimento.
Neste primeira reunião participaram 13 representantes da Alemanha, China, Dinamarca, França, Japão, Portugal, Reino Unido e Suécia, oriundos de Universidades (4), institutos e centros tecnológicos (2), empresas (5), organismos de normalização (1) e autoridades nacionais no âmbito da Segurança do Trabalho (1).
Por curiosidade, participaram nesta primeira reunião:
- O Profº Yuji Yamada da Universidade de Nagoya (Japão), de onde são oriundos os dois cientistas agraciados com o Prémio Nobel da Física deste ano,
- A Walt Disney Company (uma das empresas participantes),
para além de outras entidade de renome, como seja por exemplo, a Universidade de Oxford, o que denota o forte interesse e importância do tema em estudo.
 
 
A Unidade de Engenharia e Segurança de equipamentos do CATIM foi criada em 1993 e presta os seguintes serviços à indústria (lista não exaustiva):
Directiva Máquinas
Exame CE de Tipo (o CATIM é reconhecido como Organismo de Inspecção e Organismo Notificado
Avaliação da conformidade com a Directiva Máquinas
 
DL 50 /2005
Avaliação das condições de segurança de equipamentos de trabalho de acordo com o DL 50/2005
Verificação inicial, periódica e excepcional.
Peritagens

 
Diretiva ATEX
Classificação de áreas e verificação da adequabilidade de equipamentos

 
Instalações por cabo para o Transporte de Pessoas

 Análise de segurança do projeto das instalações de teleféricos e funiculares
Análise de segurança da conformidade das instalações de teleféricos e funiculares

Eficiência energética de máquinas
Norma EN 1090
Avaliação da conformidade com a Norma EN 1090 – Execução de estruturas de aço e alumínio

sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Conferências de Lançamento da Campanha "Apoio aos Técnicos de Segurança e Ambiente no Trabalho na implementação do REACH pelos utilizadores a jusante"



O lançamento da Campanha da Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA) “Apoio aos Técnicos de Segurança e Ambiente no Trabalho na implementação do REACH pelos utilizadores a jusante” realizar-se-á nas seguintes conferências com a participação de um representante da Agência:
 - 30 de outubro de 2014 - Lisboa
- 31 de Outubro de 2014 - Leça da Palmeira
A Campanha, coordenada em Portugal pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e pela Direção-Geral das Atividades Económicas (DGAE), com a colaboração da Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT), visa, principalmente, apoiar os técnicos de Segurança e Ambiente no Trabalho que, junto das empresas onde trabalham ou prestam apoio ou consultoria na área da segurança e saúde, implementem as obrigações dos utilizadores a jusante previstas no Regulamento REACH.
A Engª Eduarda Fernandes da Unidade Ambiente e Segurança do CATIM, será uma das intervenientes nas conferências, com a apresentação de um caso prático sobre a aplicação do regulamento Reach numa empresa de tratamentos de superfície.
Mais informações (programa e inscrições): aqui

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Apresentação do livro "Caminhos do Exportador"

 

Vai decorrer hoje na AIMMAP, pelas 18h00,  a sessão de apresentação ao sector metalúrgico e metalomecânico, do livro "Caminhos do Exportador - Estratégias de Internacionalização" da autoria do Eng. José Manuel Fernandes, que é fundador e líder do Grupo FREZITE , multinacional tecnológica portuguesa, presente em mais de 50 países nos 5 continentes.

Sinopse

Caminhos do Exportador é um livro único. Em primeiro lugar, porque é escrito por quem tem trilhado os muitos e diversos caminhos da exportação e não por um teórico. Em segundo, porque aborda o tema na perspectiva das PME, que são as que mais necessitam deste tipo de orientação para cumprir em razoável segurança o caminho das pedras. Em terceiro, porque exemplifica as inúmeras situações que podem ocorrer quando se vai para outros mercados. E em quarto, porque é bem humorado – algumas das histórias vividas pelo Autor são verdadeiramente deliciosas. Para qualquer PME exportadora, Caminhos do Exportador é um livro obrigatório, porque lhe fará poupar muito tempo e dinheiro, além de evitar muitos erros.
Nicolau Santos


 Em Caminhos do Exportador, José Manuel Fernandes, um dos verdadeiros capitães da indústria portuguesa, fala-nos da sua experiência ao leme do Grupo Frezite – multinacional de origem portuguesa que lidera há décadas. Nesta obra, o autor junta a prática à teoria, a sensatez ao registo técnico, e deixa ao leitor a sabedoria própria e o savoir faire de quem já percorreu o ABC d’ O Exportador. Esta obra é um testemunho na primeira pessoa das exigências, das peripécias, e das recompensas vividas no contexto da internacionalização. Que a experiência vivida por José Manuel Fernandes nos sirva de encorajamento.
Ricardo Arroja


Fonte: Livraria Almedina
 
 

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Benchmarking, 38ª Acção de Imersão na Metodologia BBP - Benchmarking e Boas Práticas

 
Realizou-se ontem em Coimbra a 38ª Acção de imersão na metodologia BBP - Benchmarking e Boas Práticas, acção que é dirigida a todos os que desejam ser reconhecidos pelo IAPMEI como Consultores Nacionais de Benchmarking (CNB).
Índice Português de Benchmarking (IBP) é uma ferramenta de apoio à gestão das PME's que permite a estas:
  - Avaliar o seu desempenho, comparativamente a um grupo ou sector de actividade;
 - Planear o futuro,  definindo e projectando acções que devam ser prioritárias, em função da identificação de pontos fortes e fracos.
 
 O CATIM tem colaborado com o IAPMEI desde 1997 na implementação do benchmarking e da metodologia BBP desde a sua criação, não só mantendo alguns dos seus quadros reconhecidos como CNB's e realizando exercícios em empresas, mas também  no apoio à realização das acções de imersão. 

Programa da Acção:

10:00 Abertura
Helena Moura, IAPMEI

10:30 A Metodologia BBP
Francisco Alba e Marta Mendes, CATIM

10:45 pausa para Café

11:00 Apresentação de caso simulado
Marta Mendes, CATIM

12:00 FAQ's e Condições de utilização do IBP
Alexandra Alvarez, IAPMEI

12:30 Pausa para almoço

13:30 Demonstração da utilização dos Sistemas de Informação (acesso ao SI IBP)
Marta Mendes, CATIM

14:00 Trabalho de Grupo

16:00 Pausa para café

16:15 Análise dos trabalhos de grupo

17:30 Conclusões e encerramento
Helena Moura, IAPMEI

 
 
 Benchmarking
"Processo contínuo e sistemático que permite a comparação das performances das organizações e respectivas funções ou processos face ao que é considerado "o melhor nível", visando não apenas a equiparação dos níveis de performance, mas também a sua ultrapassagem"

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Formação PME - Faz das Pequenas, grandes empresas!


Formação PME | Faz das pequenas, grande empresas. from Formação PME on Vimeo.

Mais um vídeo que pretende demonstrar o grande impacto que este programa de Formação - Acção teve na inovação das PME's portuguesas.
Recordamos que o CATIM tem colaborado com a AEP desde 1997 na implementação deste importante programa de formação-acção, que envolveu milhares de empresas e dezenas de milhares de colaboradores e empresários.
Formação PME, faz das Pequenas, grandes Empresas!

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

CATIM aderiu à Rede Nacional 'Lwg@pt' (Learning Working Group)




A Rede Nacional 'Lwg@pt' é uma rede de parceiros de desenvolvimento que, alinhada pelo propósito de estimular a aprendizagem permanente, pretende implementar iniciativas e dinamizar boas práticas de acesso a saberes centrados em resultados e resolução de problemas.
Esta Rede é constituída por entidades públicas e particulares que, no seu conjunto, e tirando partido das competências  específicas de cada membro, se encontra empenhada em dinamizar aspectos como:
- Aprendizagem ao Longo da Vida;
- Inovação Organizacional;
- Incentivo à utilização das TIC (nomeadamente em PME);
- Melhoria das qualificações dos Portugueses.

Rede Nacional Lwg@pt: aqui

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Aços Inoxidáveis Duplex - Parte I

 
Os aços inoxidáveis duplex são ligas ferro-magnéticas que além de crómio e níquel, contêm molibdénio e são ajustadas de forma a conterem austenite e ferrite em partes iguais.
A fracção de cada uma das fases existentes na liga depende da sua composição química e do tratamento térmico aplicado.
A estrutura dupla dos duplex confere-lhes uma elevada resistência à corrosão sob tensão, quando comparados com os aços inoxidáveis austeníticos, e uma maior ductilidade do que os aços inoxidáveis ferríticos. A sua e a sua elevada tensão limite convencional de proporcionalidade a 0.2% (R0.2) permite o fabrico de componentes de parede fina com alta resistência mecânica, possibilitando uma redução da quantidade de material e de tempos de soldadura.
Geralmente, os duplex possuem uma dureza superior à dos aços inoxidáveis austeníticos oferecendo também uma resistência à fadiga superior à dos austeníticos.
A utilização dos duplex expandiu-se amplamente por um vasto número de indústrias, em especial nas indústrias petrolíferas e de gás, nas indústrias petroquímicas, na indústria de pasta de papel e nas indústrias de reciclagem. Estes aços são, essencialmente, utilizados em ambientes aquosos que contenham cloretos.
Uma também importante aplicação dos duplex é na construção de navios cisterna utilizados para o transporte de produtos químicos diversos.
 
(continua Parte II)
 
Joana Leal
Laboratório de Ensaios - Metalografia

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Marcação CE de Estruturas Metálicas EN 1090 - 13 de Novembro

MARCAÇÃO CE DE ESTRUTURAS METÁLICAS EN 1090

13 de novembro de 2014 | Catim - Porto
 
A partir de 1 de julho de 2014, passou a ser obrigatória a aplicação da EN 1090, através da marcação CE de estruturas metálicas na construção (aço e alumínio). Esta norma, de máxima importância para os fabricantes de estruturas, tem implicações várias ao nível do dimensionamento estrutural, controlo da produção e requisitos de soldadura.
Com intuito de dar a conhecer os requisitos técnicos aplicáveis aos produtos da construção e as metodologias preconizadas pela Norma EN 1090, o CATIM vai realizar as seguintes acções:

---------------------------------------------------------------------

Seminário

Com vista a dar a conhecer os principais requisitos e metodologias definidas na EN 1090, de modo a que as empresas possam avançar com os seus processos de marcação CE das estruturas metálicas que fabricam.
Pretende-se ainda esclarecer quais os ensaios/validação de processos de fabrico aplicáveis no âmbito da norma.

9:00 – 9:15 - Receção dos participantes
9:15 – 10:15 – Apresentação dos requisitos da EN 1090-1 e da EN 1090-2 e sua ligação aos procedimentos internos das empresa
10:15 – 11:00 - Ensaios a realizar para validação dos processos
11:00 – 11:30 – Intervalo para café
11:30 – 12:00 – Requisitos de soldadura EN 1090 vs. ISO 3834 - Quality requirements for welding
12:00 – 12:30 – Debate / Esclarecimento de dúvidas
12:30 – Encerramento

---------------------------------------------------------------------
 
WORKSHOP

Destina-se a quem já frequentou o  Seminário “Marcação CE de Estruturas Metálicas – EN 1090” ou para quem já tem alguma experiência na implementação da Norma mas que considera que necessita de aprofundar os seus conhecimentos através do desenvolvimento de casos práticos.

14:00 – 14:15 – Receção dos participantes
14:15 – 14:30 – Breve Síntese das Normas EN 1090-1 e EN 1090-2 e suas implicações
14:30 – 16:00 Casos práticos para trabalho em grupo abordando:
·       Exemplos de produtos e construções metálicas cobertos pela EN 1090-1;
·       Principais elementos do CPF (Controlo de Produção em Fabrica) em exemplos de produtos e construções metálicas.
16:00 – 16:30 Intervalo para café
16:30 – 17:00 Debate / Conclusão dos Casos
17:00 – Encerramento

------------------------------------------------------------------------------------

Mais informações: telefone 226 159 000 ou formacao@catim.PT

Nota: nº limitado de inscrições, prioridade na inscrição a empresas fabricantes e projectistas de estruturas metálicas

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Ferramentas da Qualidade e SPC - 23, 27 e 30 de Outubro!


Acção de Formação 
PROGRAMA
MÓDULO I (6H): Ferramentas da Qualidade
- Fluxograma
- Folhas de verificação
- Brainstorming
- Diagrama Causa-Efeito
- Introdução à estatística
- Histograma
- Diagrama de Pareto
- Gráfico de tendências
- Gráfico de dispersão
 
MÓDULO II (12H): CEP/SPC (Controlo Estatístico do Processo)
- Noções de distribuição estatística (média, amplitude, desvio padrão, distribuição normal);
- Ciclo de melhoria contínua do processo;
- Noção de variação de um processo;
- Fontes de Variação – causas comuns e causas especiais de variação;
- Controlo do processo e capacidade do processo;
- Cartas de controlo (construção e interpretação)
 - Cartas X-R
- Cartas X-s
- Cartas Medianas
- Carta X-MR
- Cartas pré-controlo
- Índices de capacidade por variáveis (processo, máquina)
- Cartas de controlo por atributos.

MÓDULO III (4H): 7 Novas ferramentas (de Gestão)
- Diagrama de afinidades (ou método KJ);
- Diagrama de Relações / Inter-relações;
- Diagrama em árvore/árvore de problemas
- Diagrama de matriz
- Matrizes e prioridades
- Gráfico de decisão do processo (PDPC);
- Diagrama de Atividades;
 
MÓDULO IV (2H): Análise de Exemplos de Software

Mais informações: aqui
Condições de Participação: aqui
Inscrições: aqui
 
 

segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

Medição por coodenadas



Medição por coordenadas é um dos serviços do CATIM, com 2 centros avançados de medição, um nas instalações no Porto e outro em Braga, ambos dispondo da mais moderna tecnologia que consegue responder às necessidades da indústria.

quarta-feira, 8 de Outubro de 2014

Dia Mundial da Normalização, 14 de Outubro

 

Todos os anos a Organização Internacional de Normalização (ISO), a Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC) e a União Internacional de telecomunicações (ITU), associam-se com o objetivo de comemorar o Dia Mundial da Normalização, que se realiza no dia 14 de outubro.
Este ano o tema escolhido é: “As Normas Permitem Competir em Igualdade de Circunstâncias”.
O Instituto Português da Qualidade (IPQ), na qualidade de Organismo Nacional de Normalização, vai associar-se a estas comemorações, realizando no próximo dia 14 de outubro, uma Conferência subordinada a este tema, e que tem por objetivo realçar a importância da Normalização enquanto fator promotor de uma maior equidade e transparência no que respeita às condições de acesso aos mercados, facilitando as exportações e a internacionalização das empresas nacionais e contribuindo para a diminuição das barreiras técnicas ao comércio mundial.
 
Programa


9:30       Receção dos Participantes e Welcome coffee
10:00     Sessão de Abertura

                Secretário de Estado da Inovação e da Competitividade
   Jorge Marques dos Santos, Presidente do IPQ
10:30     As Normas ajudam a criar regras de jogo equitativas
              Jorge Marques dos Santos, IPQ
11.00     Legislação por referência a Normas
               Maria João Conde, APSEI
11:20     Pausa
 
11:45     Benefícios da Normalização na Indústria
               Pedro Soares, GRANORTE, SA
12:05     A Normalização e a Certificação
               Ana Rita Pereira, Bureau Veritas
12:25     Debate
12:45     Almoço
 
14:00     A importância da normalização nas compras públicas
               Jaime Quesado, ESPAP
 
14:30     MESA REDONDA
               As Normas facilitam as trocas comerciais
               Moderador: Jorge Marques dos Santos, IPQ
               Intervenientes:
                      CIP, Rafael Campos Pereira
                      IAPMEI, Carlos Carapeto
                      SIEMENS, Marina Guerra
                      SILAMPOS, Célia Soares
                      SONAE, Madeiras – Pedro Figueira
 
16:00     Entrega do “Prémio Normalização 2014”
17:00     Encerramento

Mais informações e inscrições: eventos@ipq.pt
 

terça-feira, 7 de Outubro de 2014

Dar sangue é dar Vida!


No passado dia 19 de Setembro realizou-se mais uma dádiva de sangue, com recolha a cargo de uma unidade móvel do Instituto Português do Sangue.
Participaram nesta acção de responsabilidade social, colaboradores do CATIM, AIMMAP, CERTIF e NET.
Dar sangue é dar vida!

segunda-feira, 6 de Outubro de 2014

Especialização em Metrologia - Ordem dos Engenheiros

O Conselho Diretivo Nacional (CDN) da Ordem dos Engenheiros aprovou a criação da Especialização Horizontal em Metrologia.
A Metrologia, domínio do conhecimento relativo à medição, tem uma natureza transversal a todas as Especialidades da Engenharia e serve um vasto conjunto de atividades económicas, científicas e legais. Abrange a realização, o desenvolvimento e a manutenção dos padrões nacionais das unidades de medida; o estabelecimento da rastreabilidade dos padrões de referência e de trabalho a utilizar pela comunidade científica e industrial; a avaliação da incerteza das medições efetuadas; a aprovação de instrumentos de medição para aplicações comerciais, industriais e fiscais e outras áreas regulamentadas; o acompanhamento dos instrumentos durante a sua vida útil.
 

sexta-feira, 3 de Outubro de 2014

Exportações do setor Metalúrgico e Metalomecânico cresceram 6,2% entre janeiro e julho de 2014 face ao período homólogo anterior!


Fonte: Boletim Informativo da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica METAL
 
Os estudos efetuados pela AIMMAP sobre o comércio internacional no setor metalúrgico e metalomecânico relativamente aos meses de junho e julho de 2014 vieram evidenciar, uma vez mais, a trajetória fortemente ascendente das vendas ao exterior por parte das empresas desta indústria.
Em cada um dos dois meses em análise nos referidos estudos, a exemplo do que vinha a suceder nos 4 meses imediatamente anteriores, os números das exportações do setor cresceram invariavelmente face aos períodos homólogos no ano anterior. A novidade é que, nestes dois casos, as taxas de crescimento foram ainda mais significativas, sempre na ordem dos dois dígitos.
No que concerne ao mês de junho, o valor das exportações do setor ascendeu a 1233 milhões de euros, o que o transformou, então, no segundo mais elevado valor de sempre em tal âmbito.
O referido valor representou um extraordinário crescimento de 14,8% face aos números registados no mesmo mês do ano anterior.
Já no que se refere ao mês de julho, os dados resultantes do estudo respetivo são ainda mais entusiasmantes. Com efeito, o setor metalúrgico e metalomecânico exportou no mês em causa o montante de 1306 milhões de euros. Esse extraordinário número converteu-se no melhor valor de sempre, ultrapassando as cifras recordes atingidas em maio e junho anteriores e tendo transformado esse mês no primeiro de sempre em que foi ultrapassado o limiar dos 1300 milhões de euros.
Regista-se ainda que o valor em causa representou um crescimento de 5,9% relativamente ao mês anterior e, mais importante ainda, um aumento de 10,5% face ao mês homólogo do ano anterior.
Tal como tem vindo a suceder ao longo dos sucessivos meses do presente ano de 2014, a excelente performance exportadora do setor decorreu agora uma vez mais, na sua maioria, das vendas aos restantes países da União Europeia, com especial destaque para Espanha, Alemanha, França e Reino Unido.
Sublinha-se, aliás, a esse propósito que o peso percentual das vendas para os restantes países da União Europeia, no caso específico do mês de julho de 2014, ascendeu a 72% das vendas totais do setor.
As vendas acumuladas nos 7 primeiros meses do ano totalizam já um total de 8211 milhões de euros, o qual não tem paralelo nos registos verificados em qualquer ano anterior.
Nesse período de 7 meses o aumento das exportações do setor face ao período homólogo de 2013 atingiu os 6,2%.
E mesmo no caso de se excluir a referência ao extraordinário mês de julho, verifica-se que o valor acumulado das exportações no primeiro semestre de 2014 ascendeu a 6905 milhões de euros. Um número dessa grandeza em apenas metade do ano civil projeta claramente um resultado notável para todo o ano de 2014, fazendo consolidar a convicção de que as exportações do setor serão no presente ano as melhores de sempre

quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

35ª Reunião do Grupo Vertical dos Organismos Notificados VG03 "Presses for cold working metals"


Nos passados dias 25 e 26 de Setembro realizou-se em Linz, Áustria, a 35ª reunião do Grupo Vertical dos Organismos Notificados VG03 “Presses for cold working metals”.
Este grupo de trabalho reúne-se anualmente e analisa questões técnicas relacionadas com Prensas e Quinadoras. O resultado deste trabalho, ou seja, as respostas às questões analisadas, é publicado nas Recommendation For Use - RFUs.
 
Importa relembrar que a elaboração de uma RFU só é possível caso não exista norma harmonizada que responda à questão em discussão. As RFU elaboradas pelos Grupos Verticais são aprovadas numa 1ª fase pelo Comité Horizontal da Coordenação Europeia de Organismos Notificados para Máquinas e, em seguida, transmitidas ao Grupo de Trabalho Máquinas para uma 2ª aprovação. As RFU não são juridicamente vinculativas, mas são consideradas uma referência relevante para assegurar a aplicação uniforme da Diretiva Máquinas.
RFU disponíveis no site da comissão europeia: aqui
Na reunião estiveram presentes 9 delegados representando 9 Organismos Notificados (Directiva Máquinas). O CATIM esteve representado pela Engª Filipa Lima, da Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos.
 

quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Ferramentas da Qualidade e SPC - 23, 27 e 30 de Outubro!

 
Acção de Formação 
PROGRAMA
MÓDULO I (6H): Ferramentas da Qualidade
- Fluxograma
- Folhas de verificação
- Brainstorming
- Diagrama Causa-Efeito
- Introdução à estatística
- Histograma
- Diagrama de Pareto
- Gráfico de tendências
- Gráfico de dispersão
 
MÓDULO II (12H): CEP/SPC (Controlo Estatístico do Processo)
- Noções de distribuição estatística (média, amplitude, desvio padrão, distribuição normal);
- Ciclo de melhoria contínua do processo;
- Noção de variação de um processo;
- Fontes de Variação – causas comuns e causas especiais de variação;
- Controlo do processo e capacidade do processo;
- Cartas de controlo (construção e interpretação)
 - Cartas X-R
- Cartas X-s
- Cartas Medianas
- Carta X-MR
- Cartas pré-controlo
- Índices de capacidade por variáveis (processo, máquina)
- Cartas de controlo por atributos.

MÓDULO III (4H): 7 Novas ferramentas (de Gestão)
- Diagrama de afinidades (ou método KJ);
- Diagrama de Relações / Inter-relações;
- Diagrama em árvore/árvore de problemas
- Diagrama de matriz
- Matrizes e prioridades
- Gráfico de decisão do processo (PDPC);
- Diagrama de Atividades;
 
MÓDULO IV (2H): Análise de Exemplos de Software

Mais informações: aqui
Condições de Participação: aqui
Inscrições: aqui