quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

ISO 9001 - 2015 - Preparar a mudança!

Gerir bem a Qualidade é factor de competitividade e sustentabilidade das organizações.
Conhecer o impacto no sistema de gestão da qualidade dum organização e identificar as alterações que terão que ser efectuadas, quer em termos conceptuais quer nas práticas, é algo que deverá ser feito a curto e médio prazo, antecipando assim a mudança anunciada.
O CATIM, através da sua Unidade da Qualidade e Inovação, tem vindo a promover seminários e formação sobre o tema e propõe-se efectuar durante 2015 e no âmbito das auditorias internas para o qual seja contratado, ou de forma específica, o levantamento em cada empresa do impacto que terá a nova norma com sugestões de alterações de modo a garantir o cumprimento dos novos requisitos. Nos processos de implementação de novos sistemas de gestão da qualidade também não deixaremos de considerar esta futura versão da norma.
Antecipe a mudança, consulte-nos:
  • Para implementar um sistema de gestão da qualidade
  • Para a realização de auditorias Internas
  • Para fazer um diagnóstico e determinar que impacto a nova norma tem no SGQ já existente
  • Para realizar na sua empresa, formação em gestão da qualidade e nas ferramentas da qualidade
Unidade da Qualidade e Inovação
Telefone: 226 159 000
 
  

segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Caracterização microestrutural dos aços inoxidáveis duplex


Um aço inoxidável duplex apresenta uma microestrutura constituída por duas fases: ferrite e austenite. A previsão e o controlo do teor em ferrite são vitais à aplicação com sucesso dum aço inoxidável duplex.
Os aços inoxidáveis duplex possuem excelentes características de resistência mecânica, soldadura e resistência à corrosão. Um teor de ferrite inferior a 25 % diminui a resistência à corrosão sob tensão e um teor em ferrite superior a 70 % diminui a tenacidade do material e a resistência à corrosão por picadas.
Nos aços inoxidáveis duplex o teor de ferrite depende essencialmente da composição química e do tratamento térmico aplicado.  A sua quantificação deve ser realizada como um meio de controlo do material e qualquer desvio deve originar uma verificação extra das suas propriedades.
Esta quantificação poderá ser realizada utilizando a norma ASTM E562 - determinação da fracção volúmica de um constituinte de uma liga.
Pelo método manual de contagem sistemática de pontos, a determinação da fracção volumétrica de uma determinada fase presente na microestrutura, é feita através da aplicação de uma rede sobre a imagem da microestrutura, e contando-se o número de pontos coincidentes entre a rede e a fase em estudo.

Joana leal
Laboratório de Ensaios - Metalografia

 
 

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Gestão do Risco

As organizações de todos os tipos e dimensões enfrentam factores e influências, internos e externos, que tornam incerto se, e quando, atingirão os seus objectivos. O efeito que esta incerteza tem nos objectivos de uma organização designa-se por “risco”.
Todas as actividades de uma organização envolvem risco. As organizações gerem o risco mediante a sua identificação e análise, após o que avaliam a necessidade da sua alteração, tratando-o de forma a satisfazer os seus critérios de risco. Ao longo deste processo comunicam com e consultam as partes interessadas, monitorizando e revendo o risco e meios de controlo que estão a alterá-lo,  de forma a assegurarem que não é necessário um tratamento de risco suplementar.
Esta Norma Internacional descreve detalhadamente este processo sistemático e lógico.
...
Fonte: Norma NP EN 31000: 2013 Princípios e Linhas de Orientação
Realizou-se ontem em Lisboa na APQ, mais uma reunião da Comissão Técnica CT 180 - Gestão do Risco, com uma ordem de trabalhos com diversos assuntos, entre os quais a tradução em curso da Norma IEC 7 ISO 31010, Risk Management - Risk assessment techniques.
O CATIM participa nesta comissão técnica, representado pelo Eng. Francisco Alba, director neste centro e responsável pela Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos, e pela Unidade da Qualidade e Inovação.
 
Tradicionalmente o risco é abordado nas PME's numa dimensão mais operacional e sectorial, por exemplo ao nível da segurança no trabalho, segurança de máquinas e equipamentos, ambiente, segurança de produtos, etc, mas sem uma abordagem sistemática e integradora ao nível da gestão de topo e dos diversos sistemas de gestão, que contemple todas as dimensões da gestão empresarial.
A futura Norma ISO 9001 - Sistemas da Gestão da Qualidade / Requisitos de 2015, incluirá já a temática da Gestão do Risco, sendo de esperar que durante 2015 e anos seguintes se assista a grandes progressos neste domínio nas empresas, em especial nas que tem o seu sistema de gestão da qualidade certificado.
Espera-se também que as diversas entidades certificadoras de sistemas de gestão da qualidade esclareçam em devido tempo quais os seus critérios relativamente a esta temática incluída na futura norma, cuja interpretação ao nível dos diversos países envolvidos nos trabalhos, tem sido diversa e algo polémica.
A Unidade da Qualidade e Inovação do CATIM está a acompanhar a evolução da norma, está a trabalhar na metodologia de abordagem para as PME's e está disponível para apoiar estas na adequação dos seus sistemas de gestão.
 

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

MSA – Measurement System Analysis, 2 e 4 de Dezembro!

“MSA – Measurement System Analysis”

02 e 04 de Dezembro, Porto

14 horas, laboral
 
O MSA define uma metodologia para determinar se os erros e desvios dos sistemas de medição (equipamentos de medição, sensores e outros dispositivos de medição) se mantêm dentro de valores aceitáveis às exigências das especificações de produto ou processo e estáveis ao longo do tempo. As orientações do MSA permitem avaliar todo o processo de medição desde o método de ensaio e equipamentos de medição, até ao processo de obtenção de medições, de modo a assegurar a integridade dos dados utilizados no controlo da qualidade (avaliação) e de compreender as implicações dos erros de medição para as decisões tomadas sobre um produto ou processo.
 
Dada a sua importância na validação de amostras/protótipos e pré-séries tornou-se numa metodologia de referência para os sistemas da qualidade que é exigido pelos grandes construtores da indústria automóvel aos seus fornecedores.

Convidámo-lo a participar nesta acção de formação, a qual a qual decorrerá  nos dias 02 e 04 de Dezembro, no horário das 9:30H às 17:30H, nas instalações do CATIM (Porto). Contamos com a sua presença!
Esta acção será monitorizada por especialistas da Unidade da Qualidade e Inovação do CATIM, unidade com 24 anos de experiência em consultadoria e formação no domínio da Gestão da Qualidade e ferramentas da qualidade.

Programa
Inscrição

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

A Cloud ao serviço da Inovação das PME´s - 21 de Novembro, EMAF 2014


Seminário
Objectivo: Dar a conhecer os serviços da Plataforma CLOUDPYME às empresas.
Dirigido a: Responsáveis de produção, gabinetes técnicos, engenheiros, gabinetes de I&D empresários de empresas da euro -região.
Data/Hora: sexta-feira, 21 de Novembro de 2014; 14:00H
Local: Exponor, Matosinhos

Programa:
14:00 Registo de participantes.
14:30 Abertura
    Hildebrando Vasconcelos, CATIM
     Mafalda Gramaxo, AIMMAP
14:45 O Processo de Inovação
    Paulo Osswald, Universidade Católica Portuguesa
15:15 CloudPYME,  Cloud para empresas que inovam.
     Mariano Sánchez, CESGA
15:45 Casos de êxito de uso de simulação numérica em Engenharia
     Luís Rocha, CATIM
16:15 Encerramento
Visita à EMAF

CloudPYME é uma infraestrutura de supercomputação dirigida a PME´s, que oferece serviços de computação para cálculo científico-técnico e outras ferramentas de inovação. A sua utilização por parte das PME´s contribui para melhorar a concepção dos seus produtos e processos, incrementando assim a sua competitividade.

Parceiros do projecto: AIMMAP, AIMEN,  CATIM e CESGA.

Participação livre, inscrições no seminário: aqui

EMAF 2014, 19 a 22 de Novembro, EXPONOR

 

Abre hoje!
A EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria regressa para uma edição de sucesso, com mais de 40% de expositores face à edição anterior!
Em simultâneo realizar-se-ão a FIMAP - 18ª Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira e a FERRÁLIA - 13º salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da madeira.

Mais informações:



terça-feira, 18 de Novembro de 2014

Regularização do licenciamento de unidades industriais e suas ampliações em desconformidade com planos de ordenamento de território vigentes ou com servidões administrativas e restrições de utilidade pública

REGIME EXTRAORDINÁRIO

Regularização do licenciamento de unidades industriais e suas ampliações em desconformidade com planos de ordenamento de território vigentes ou com servidões administrativas e restrições de utilidade pública

Foi publicado a 5 de Novembro o Decreto-Lei n.º 165/2014 que estabelece com carácter extraordinário:
a) O regime de regularização de estabelecimentos e explorações existentes à data da sua entrada em vigor que não disponham de título válido de instalação ou de título de exploração ou de exercício de actividade, incluindo as situações de desconformidade com os instrumentos de gestão territorial vinculativos dos particulares ou com servidões administrativas e restrições de utilidade pública;
b) O regime a aplicar à alteração ou ampliação dos estabelecimentos ou instalações que possuam título de exploração válido e eficaz, mas cuja alteração ou ampliação não sejam compatíveis com os instrumentos de gestão territorial vinculativos dos particulares ou com servidões e restrições de utilidade pública.
O regime aplica-se, entre outras, às actividades industriais e às operações de gestão de resíduos.
Entra em vigor no dia 2 de Janeiro de 2015 e a instrução dos pedidos deve ser apresentada no prazo de um ano a contar da data de entrada em vigor do diploma legal.
 
 
Patrícia Soares
Unidade de Ambiente e Segurança
telefone: 226 159 000
 

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Forum Produtech 2014 e Conferência - 19 de Novembro, EMAF 2014

 
Este evento tem como objectivo debater alguns dos principais desafios que se colocam à indústria transformadora nacional e internacional numa dimensão sobretudo técnica / tecnológica, e apresentar os resultados dos projectos mobilizadores PRODUTECH - PSI e PRODUTECH - PTI.

Informações e inscrições: geral@produtech.org

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

Dia Mundial da Qualidade - 2014

Todos os anos na 2ª quinta-feira do mês de Novembro comemora-se o Dia Mundial da Qualidade.
A Qualidade não passa de moda... e num mundo cada vez mais competitivo e exigente em todas as dimensões, económica, social e ambiental, a qualidade dos produtos e serviços continua a ter um papel insubstituível.

PENSAR Qualidade, FAZER Qualidade é motor da produtividade, da inovação, da segurança, da observância pelas normas e boas práticas que salvaguardam os interesses das partes interessadas e do interesse comum.
PENSAR Qualidade, FAZER Qualidade é colocar os clientes e destinatários dos nossos produtos e serviços em primeiro lugar, nunca os deixar de considerar e acompanhar, aprender e crescer com eles. Imagine competir sem qualidade...
PENSAR Qualidade, FAZER Qualidade é motor da gestão de excelência, da visão a longo prazo, da sustentabilidade.

Há 24 anos que a Unidade da Qualidade e Inovação do CATIM promove a qualidade nas empresas, em especial nas PME's do sector metalúrgico e metalomecânico.
Se PENSA e quer FAZER Qualidade de forma continuada e sustentada na sua organização, implemente um sistema de gestão da qualidade.
Contacte-nos!

Unidade da Qualidade e Inovação
catim@catim.pt
telefone: 226159000

A Cloud ao serviço da Inovação das PME´s - 21 de Novembro, EMAF 2014


 
 
Seminário
Objectivo: Dar a conhecer os serviços da Plataforma CLOUDPYME às empresas.
Dirigido a: Responsáveis de produção, gabinetes técnicos, engenheiros, gabinetes de I&D empresários de empresas da euro -região.
Data/Hora: sexta-feira, 21 de Novembro de 2014; 14:00H
Local: Exponor, Matosinhos

Programa:
14:00 Registo de participantes.
14:30 Abertura
    Hildebrando Vasconcelos, CATIM
     Mafalda Gramaxo, AIMMAP
14:45 O Processo de Inovação
    Paulo Osswald, Universidade Católica Portuguesa
15:15 CloudPYME,  Cloud para empresas que inovam.
     Mariano Sánchez, CESGA
15:45 Casos de êxito de uso de simulação numérica em Engenharia
     Luís Rocha, CATIM
16:15 Encerramento
Visita à EMAF

CloudPYME é uma infraestrutura de supercomputação dirigida a PME´s, que oferece serviços de computação para cálculo científico-técnico e outras ferramentas de inovação. A sua utilização por parte das PME´s contribui para melhorar a concepção dos seus produtos e processos, incrementando assim a sua competitividade.

Parceiros do projecto: AIMMAP, AIMEN,  CATIM e CESGA.

Inscrições no seminário: aqui
 

quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Higiene e Segurança no Trabalho para Trabalhadores Designados, FORMAÇÃO!


Acção de Formação - últimas inscrições!
17, 19, 21, 24 e 26 de Novembro de 2014
35 Horas, Laboral
 
Curso reconhecido pela ACT.
Permite o reconhecimento por parte da ACT das competências necessárias ao desempenho da função como Trabalhador Designado.
 
De acordo com a Lei n.º 102/2009 de 10 de setembro, a formação para o desempenho de funções de Segurança no Trabalho realizado por empregadores e trabalhadores designados, permite às PMEs, tendo até 10 funcionários e cuja actividade não seja de risco elevado, poderem prescindir da modalidade de contratação de serviços externos de Segurança no Trabalho, obtendo para isso o empregador ou alguém por ele designado, uma formação adequada em Segurança no Trabalho, para posteriormente assumir e desempenhar as funções preventivas.
 
Para a qualificação e formação de profissionais na área de segurança e saúde no trabalho a ACT (Autoridade para as Condições do Trabalho), reconhece diferentes níveis de aptidão profissional. Este curso visa a aquisição de competências básicas em matéria de segurança e saúde no trabalho, respondendo assim, à exigência legislativa que obriga que o trabalhador designado tenha formação adequada para o exercício de actividades de segurança no trabalho.
 
Convidámo-lo a participar nesta ação de formação que decorrerá nas instalações do CATIM (Porto). Contamos com a sua presença!
 
Mais informações e inscrições: telefone 226 159 000 ou formacao@catim.PT

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

Benchmarking, 39ª Acção de imersão na metodologia BBP - Benchmarking e Boas Práticas


Realizou-se ontem em Lisboa a 39ª Acção de imersão na metodologia BBP - Benchmarking e Boas Práticas, acção que é dirigida a todos os que desejam ser reconhecidos pelo IAPMEI como Consultores Nacionais de Benchmarking (CNB).
Índice Português de Benchmarking (IBP) é uma ferramenta de apoio à gestão das PME's que permite a estas:
  - Avaliar o seu desempenho, comparativamente a um grupo ou sector de actividade;
 - Planear o futuro,  definindo e projectando acções que devam ser prioritárias, em função da identificação de pontos fortes e fracos.
 
 O CATIM tem colaborado com o IAPMEI desde 1997 na implementação do benchmarking e da metodologia BBP desde a sua criação, não só mantendo alguns dos seus quadros reconhecidos como CNB's e realizando exercícios em empresas, mas também  no apoio à realização das acções de imersão. 

Programa da Acção:

10:00 Abertura
Helena Moura, IAPMEI

10:30 A Metodologia BBP
Francisco Alba e Marta Mendes, CATIM

10:45 pausa para Café

11:00 Apresentação de caso simulado
Marta Mendes, CATIM

12:00 FAQ's e Condições de utilização do IBP
Alexandra Alvarez, IAPMEI

12:30 Pausa para almoço

13:30 Demonstração da utilização dos Sistemas de Informação (acesso ao SI IBP)
Marta Mendes, CATIM

14:00 Trabalho de Grupo

16:00 Pausa para café

16:15 Análise dos trabalhos de grupo

17:30 Conclusões e encerramento
Helena Moura, IAPMEI
 
 
 Benchmarking
"Processo contínuo e sistemático que permite a comparação das performances das organizações e respectivas funções ou processos face ao que é considerado "o melhor nível", visando não apenas a equiparação dos níveis de performance, mas também a sua ultrapassagem"

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

Ação de Demonstração - CEI - PRODUTECH, 13 de Novembro

 
 
Inscrições: geral@produtech.org
A participação é gratuita, estando sujeita a inscrição prévia.

Local: CEI - Rua dos Açores, 278, Zona Industrial das Travessas, 3700-018 S. João da Madeira
(GPS: 40º54'11.68"N 8º28'49.02"W)

Este evento insere-se num conjunto de ações de demonstração, a decorrer em ambiente industrial, das soluções desenvolvidas no âmbito dos Projetos Mobilizadores PRODUTECH PSI e PRODUTECH PTI, os quais, incorporando um elevado grau de colaboração - entre empresas que desenvolvem tecnologias de produção, as suas utilizadoras e entidades do sistema científico e tecnológico, corporizam o Projeto Âncora Investigação, Desenvolvimento e Demonstração do Polo PRODUTECH.
Esta ação a decorrer na empresa CEI apresentará os resultados e soluções desenvolvidas ao nível da:
- Formação Interativa e da Gestão da Manutenção, da área temática Sistemas de Produção Inteligentes;
- Gestão da Disponibilidade de Sistemas de Produção;
- Ecodesign e Ecoeficiência na conceção e desenvolvimento de equipamentos;
- Conceção de Sistemas Multi-operação;
- Robótica Flexível, nomeadamente de solução desenvolvida para a Indústria do Calçado.

Projectos Mobilizadores PRODUTECH


FPME: Os criadores de inovação que ajudam a exportar


Fonte: revista invest
http://www.revistainvest.pt/pt/Os-criadores-de-inovacao-que-ajudam-a-exportar/A792

Maria Alice Monteiro é perentória: participar no programa Formação PME da AEP - Associação Empresarial de Portugal foi determinante para a sua empresa conseguir mais mercados internacionais e também teve influência na criação de novos produtos.
...
Quanto à sua participação, Maria Alice Monteiro explica que o convite surgiu por parte do CATIM (Centro de Apoio Tecnológico à Industria Metalomecânica). E que, como a Metalomecânica Vítor Monteiro fez investimentos recentes (tem novos equipamentos e uma nova unidade fabril), “as áreas de intervenção identificadas vêm todas nesse sentido, o de tornar a Metalomecânica Vítor Monteiro uma empresa com um carácter cada vez mais internacional e exportador”.
... (continua)

sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

Aços inoxidáveis duplex - fases secundárias e intermediárias


 

Devido ao seu elevado teor em elementos de liga, os duplex, demonstram uma eminente propensão à formação de fases secundárias. O efeito da precipitação de algumas destas fases, nas suas propriedades mecânicas e de resistência à corrosão pode ser desastroso.
As fases secundárias mais vulgarmente formadas são a fase σ, os nitretos de crómio e a austenite secundária. A fase σ é provavelmente a fase secundária mais prejudicial às características dos duplex.
Esta fase intermetálica pode formar-se mesmo em ligas de muito baixo crómio e a interface ferrite/ austenite é um local preferencial da sua nucleação.
Os ensaios descritos na norma ASTM A923 – métodos de ensaio normalizados para detecção de fases intermetálicas em aços inoxidáveis duplex, permitem detectar a presença de fases intermetálicas em aços inoxidáveis duplex para deformação plástica.
O método A baseia‑se numa análise metalográfica antecedida por um ataque electrolítico com NaOH para identificar as amostras livres destas fases, segundo um critério de aceitação baseado na espessura das fronteiras de grão austenítico. Este método pode preceder os métodos B e C como forma de rastreio.
O método B descreve um procedimento para conduzir o ensaio de Charpy como um método de detecção de precipitação de fases intermetálicas em aços inoxidáveis duplex. Este procedimento aqui aplicado é diferente do habitualmente aplicado para caracterização do material.
O método C estabelece um procedimento de imersão da amostra numa solução ácida, oxidante, de FeCl3 durante 24h horas a temperaturas entre os 22°C e 40°C, conforme o material a ensaiar. Após ensaio a amostra é observada para identificação de ocorrência de eventual ataque localizado e determinada a sua perda de massa com uma precisão não inferior a 0,001 g.

Joana leal
Laboratório de Ensaios - Metalografia



Ver "posts" anteriores:
Aços Inoxidáveis Duplex - parte I
Os Aços Inoxidáveis Duplex, Superduplex e Hiperduplex  (Parte II)





quinta-feira, 6 de Novembro de 2014

CATIM, parceiro das empresas na implementação de sistemas de gestão da qualidade

Começamos em 1990, com a criação da Unidade da Qualidade.
Em 2015, faremos 25 anos...
Algumas curiosidades... No início dos anos 90 fazia parte das condições incluídas na nossa proposta comercial, o compromisso da empresa adquirir um PC compatível e dar formação interna para que pudesse "absorver" os procedimentos da qualidade e fazer os necessários registos e tratamento da informação relativo à sua gestão. Já nessa época promovíamos a utilização de indicadores de gestão relativos ao desempenho do sistema e a utilização de procedimentos simples baseados em fluxogramas... Em muitas empresas com que trabalhamos, o primeiro "PC compatível" entrou pela qualidade...
 
Centenas de empresas, em especial PME's e na sua maioria do sector metalúrgico e metalomecânico contaram nestes já longos anos, com a colaboração da equipa do CATIM (actualmente designada como Unidade da Qualidade e Inovação) para a definição e implementação do sistema de gestão da qualidade e posterior certificação. Se somarmos a estas empresas, as que solicitaram auditorias internas da qualidade e as que colocaram os seus colaboradores em acções de formação no domínio da qualidade promovidas pelo CATIM, e as que participaram nos diversos projectos industrialmente orientados como a Formação PME ou no âmbito do benchmarking, com consequentes intervenções no domínio da qualidade, a conta será bem mais volumosa...
No sector industrial, em especial no sector da metalomecânica (nos diversos subsectores, por exemplo o automóvel) ou de serviços (serviços de apoio à indústria, laboratórios, saúde, distribuição, desenvolvimento de software, etc) , em micro ou médias organizações,  aceitamos o desafio, fazemos equipa com as empresas e ajudamos a definir um plano de acção que responda às suas expectativas e necessidades.
Implementar um sistema de gestão da qualidade não se reduz a "vestir" a norma de referência... É um fato à medida... sendo necessário perceber a empresa, os seus processos, as suas necessidades, os desafios, a sua cultura, as suas pessoas...os seus clientes, e as boas prácticas que andam por aí...
Quando se implementa um sistema de gestão desafia-se e ajuda-se a empresa reflectir, e a inovar... É uma oportunidade de ouro que não se pode perder!
Se necessita de implementar um sistema de gestão da qualidade, contacte-nos!
 
 
Serviços da Unidade da Qualidade e Inovação:

Sistemas de Gestão
 
Qualidade ISO 9001, ISO/TS 16949,
Qualidade ISO/IEC 17025, ISO/IEC 17020
Inovação NP 4457
Ambiente ISO 14001 *
Segurança OHSAS 18001 / NP 4397 *
Sistemas integrados *
Apoio à certifcação e acreditação
Auditorias da qualidade
Sistemas de controlo interno de fabrico no âmbito da Marcação CE e boas práticas de fabrico (Exemplo no âmbito da EN 1090)
Indicadores de avaliação dos processos
Conceção / integração com BSC (Balanced Score Card)
Políticas e alinhamento estratégico dos sistemas de gestão de micro e pequenas empresas
Partilha da gestão dos sistemas de gestão
 
 
Melhoria da produtividade e qualidade
Organização do posto de trabalho e ergonomia
 
Optimização de Layouts
Ferramentas de melhoria da produtividade e qualidade
5 S's, SPC, FMEA, KANBAN, Lean Manufacturing, 6 SIGMA e Milk Run, Just in time
Grupos de melhoria
 
 
catim@catim.pt    telefone: 226 159 000

quarta-feira, 5 de Novembro de 2014

Caracterização estrutural de aços inoxidáveis duplex


 

Um aço inoxidável duplex apresenta uma microestrutura constituída por duas fases: ferrite e austenite. A previsão e o controlo do teor em ferrite são vitais à aplicação com sucesso dum aço inoxidável duplex.
Os aços inoxidáveis duplex possuem excelentes características de resistência mecânica, soldadura e resistência à corrosão. Um teor de ferrite inferior a 25 % diminui a resistência à corrosão sob tensão e um teor em ferrite superior a 70 % diminui a tenacidade do material e a resistência à corrosão por picadas.
Nos aços inoxidáveis duplex o teor de ferrite depende essencialmente da composição química e do tratamento térmico aplicado.
A sua quantificação deve ser realizada como um meio de controlo do material e qualquer desvio deve originar uma verificação extra das suas propriedades.
Esta quantificação poderá ser realizada utilizando a norma ASTM E562 - determinação da fracção volúmica de um constituinte de uma liga.
Pelo método manual de contagem sistemática de pontos, a determinação da fracção volumétrica de uma determinada fase presente na microestrutura, é feita através da aplicação de uma rede sobre a imagem da microestrutura, e contando-se o número de pontos coincidentes entre a rede e a fase em estudo.

Joana leal
Laboratório de Ensaios - Metalografia


Ver "posts" anteriores:
Aços Inoxidáveis Duplex - parte I
Os Aços Inoxidáveis Duplex, Superduplex e Hiperduplex  (Parte II)

 NOTA: hoje comemora-se o Dia Mundial dos Materiais

terça-feira, 4 de Novembro de 2014

Dia Mundial dos Materiais, 05 de Novembro

 
A Ordem do Engenheiros, a SPM - Sociedade Portuguesa de Materiais e o Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica da Universidade de Aveiro vão comemorar o Dia Mundial dos Materiais 2014 (05 de Novembro).
Para mais informações:
http://www.ua.pt/demac/
http://www.spmateriais.pt/

Inscrições: demac-materiais2014@ua.pt