quarta-feira, 13 de junho de 2018

A Norma EN ISO 12100 - Segurança de Máquinas


O principal objetivo desta Norma é proporcionar aos projetistas o enquadramento e orientações sobre as decisões a tomar durante o desenvolvimento das máquinas tendo em vista a conceção de máquinas que sejam seguras em condições previstas de utilização. Também fornece uma estratégia para quem desenvolve as normas e ajuda na preparação de normas tipo-B e tipo-C apropriadas e consistentes.

O conceito de segurança de máquinas considera a capacidade de uma máquina executar a(s) função(ões) prevista(s) durante o ciclo de vida para o qual o risco foi adequadamente reduzido.

Esta Norma é a base para um conjunto de normas que tem a seguinte estrutura:

Normas tipo-A (normas básicas) estabelecem conceitos básicos, princípios de conceção e aspetos
gerais que podem ser aplicados às máquinas

Normas tipo-B (normas gerais de segurança) lidam com um aspeto da segurança ou com um meio de
proteção que pode ser usado num gama ampla de máquinas:
tipo-B1 normas sobre aspetos gerais de segurança (por exemplo, distâncias de segurança,
temperatura de superfície, ruído)
tipo-B2 normas sobre meios de proteção (por exemplo, comandos bimanuais, dispositivos de
encravamento, dispositivos sensíveis à pressão, protetores);

Normas tipo C (normas de segurança por categoria de máquinas) lidam com requisitos de segurança
detalhados aplicáveis a uma máquina particular ou grupo de máquinas particular.

A presente Norma EN ISO 2010 está a ser traduzida na comissão técnica CT40 - Máquinas Ferramenta, comissão técnica coordenada pelo Organismo de Normalização Sectorial CATIM, presidida por Alberto Fonseca, também do CATIM.
Esta tradução encontra-se neste momento na fase de revisão da prova de autor na CT40, pelo que se prevê que seja publicada pelo IPQ a curto prazo como NP EN ISO 12100:2018

segunda-feira, 11 de junho de 2018

SimpMet2018 - 6ª Edição do Simpósio de Metrologia 2018



No passado dia 23 de Maio realizou-se a 6ª edição do Simpósio de Metrologia, SIMPMET2018 iniciativa que contou com o apoio do CATIM.
Com 200 inscrições que esgotaram a capacidade da sala, o SimpMet deste ano focou-se no debate de vários temas que a curto prazo irão ter profundas implicações na metrologia e na indústria, como o Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD) que entrou em vigor no passado dia de 25 de Maio, a reformulação do Sistema Internacional de Unidades (SI) e a nova edição da norma ISO/IEC 17025 e a Mobilidade.

Isabel Perfeito do CATIM, além de participar mais uma vez na Comissão Organizadora, participou com Noélia Duarte (Comissão de normalização APQ/ IPQ - CT 147 e ISO/ CASCO WG44 – Revisão da  ISO/IEC 17025) na apresentação da comunicação "A nova ISO/IEC 17025 - Mudança e impacto para os laboratórios".


segunda-feira, 4 de junho de 2018

Comparative study of the application of risk assessment methodologies and Risk Matrix in collaborative robots.



https://ahfe2018.org/


É o título do artigo da autoria de Alberto Fonseca e Cláudia Pires do CATIM e que será apresentado na 9º Conferência AHFE2018 (Applied Human Factors and Ergonomics) que decorrerá em Orlando, EUA nos próximos dias 21 a 25 de Julho.


Abstract: This article proposes the study and analysis of the risks associated to complex machines, namely the collaborative robots. 
Currently, collaborative robots are in full development with application already identified in different sectors of activity and with great potential compared to other complex machines.
However for new working situations could be necessary to use new risk assessment approach, suitable to deal with all new parameters and new risks generated by the collaborative work between a (complex) machine and human beings.
In this sense, it is important to assess the risks of this type of machines, and this may addresses to the need of different methodology of risk assessment to be used in new and complex cases like these seems to are.
In view of this scenario, a comparative study was carried out between two risk assessment methodologies in order to identify risk management tools for decision support and thus to support the manufacturers and users of these machines (collaborative robots) in the use of appropriate and reliable methodologies.
The study compares two methodologies of risk assessment (in real context). The “RCM - Reliability Centred Maintenance”,  complex and exigent one normally used in the airspace industry, and the “Risk Matrix”, a simple methodology currently in use for the safety of machines and work equipment.
This study will evaluate the quality of results regarding the application of the RCM methodology, tested and recognized in a sector known of great criticality, in another developing industrial sector. On the other hand, the quality of information obtained from a simple and frequently used methodology between manufacturers and users of these complex machines will also be evaluated.

Programa da Conferência: aqui

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Approach for preventive maintenance planning of machine tools



http://www.te2018.com/

Na sequência da submissão de um artigo científico no âmbito do trabalho de investigação no projeto TechParts I&D, os investigadores do consórcio Luís Basto, Cláudia Pires (CATIM) e a Professora Isabel Lopes (U.Minho), irão apresentar as conclusões obtidas na conferência TE2018 (The 25th International Conference on Transdisciplinary Engineering), de 3 a 6 de julho, em Modena, Itália.


Approach for preventive maintenance planning of machine tools

R. Piresa,b,[1], I.S. Lopesa, L.P. Bastoa
ALGORITMI Research Centre, University of Minho Campus de Azurém 4800-058 Guimarães, Portugal

Abstract. This paper addresses a common problem to manufacturing companies: the maintenance of machine tools and their components. Preventive maintenance has always been a great challenge for companies, due to the need of predicting failures or production shutdowns, which requires knowledge and resources. However, the planning of machine tools maintenance presents itself as an even more complex problem due to the distinct lifetimes of their components. Age-based preventive replacement and Block replacement models define optimal replacement intervals for one item based on associated maintenance costs. A machine tool can be seen as a serial system of components or items.  The concepts of group technology and clustering can be used to group components together in order to define common preventive maintenance intervals and reduce the number of production stops. In the literature, some contributions are found. However, the defined groups are static as well as the preventive maintenance intervals. This paper presents a conceptual model for the definition of dynamic clusters and intervals. It also presents an application to record the inputs, data collected in real time, needed to group components and set up preventive maintenance intervals. The developed application is being implemented in a metalworking company.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Segurança de Máquinas: as nanotecnologias nos processos de maquinação aditiva e subtrativa de materiais metálicos


O CATIM, a convite da  organização do evento, participará nas «X Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho nos dias 25 e 26 de junho de 2018 que decorrerão na Fundação Comendador Almeida Roque, em Águeda, onde apresentará uma comunicação sobre “Segurança de Máquinas. As nanotecnologias nos processos de maquinação aditiva e subtrativa de materiais metálicos”. A intervenção estará a cargo dos Eng.º Alberto Fonseca e Enga. Marta Sousa.
Estas jornadas, em que o CATIM regista um presença regular, realizam-se pelo 10º ano consecutivo e enquadram-se, este ano, na campanha da Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho 2018-2019 “Locais de trabalho saudáveis - gerir as substâncias perigosas”.
As jornadas são organizadas por:



segunda-feira, 21 de maio de 2018

Caracterização de inclusões no aço Ck45 por técnica de análise automática de imagem


De autoria de Joana Leal do CATIM, Paulo Duarte da Metalsolvus e Pedro Silva da Ramada Aços, foi publicado um interessante artigo na Revista TECNOMETAL nº 234 (Janeiro/Fevereiro 2018).
A ler!


"...A presença deste tipo de inclusões tende a degradar as propriedades mecânicas que os aços apresentam em serviço, uma vez que estas inclusões constituem defeitos internos do aço que provocam descontinuidades na matriz metalíca envolvente..."

terça-feira, 15 de maio de 2018

Normas publicadas em Maio com origem no ONS CATIM

NP EN 30-1-2:2018
Aparelhos domésticos para preparação dos alimentos que utilizam combustíveis gasosos Segurança Parte 1-2: Aparelhos com fornos e/ou grelhadores de convecção forçada

NP EN 676:2003+A2:2018
Queimadores automáticos de ar forçado que utilizam combustíveis gasosos 

NP EN 1564:2018
Fundição Ferros fundidos ausferríticos de grafite esferoidal 

NP EN 10216-1:2018
Tubos de aço sem costura para aplicações sob pressão Condições técnicas de fornecimento Parte 1: Tubos de aço não ligado com características especificadas à temperatura ambiente

NP EN 10305-6:2018
Tubos de precisão de aço Condições técnicas de fornecimento Parte 6: Tubos soldados e estirados a frio para circuitos hidráulicos e pneumáticos 

NP EN 12735-1:2018
Cobre e ligas de cobre Tubos redondos sem costura para ar condicionado e refrigeração Parte 1: Tubos para sistemas de tubagem

NP EN 13209-2:2018
Artigos de puericultura Porta-bebés – Requisitos de segurança e métodos de ensaio Parte 2: Marsúpio  

NP EN 15181:2018
Método de medição do consumo de energia de fornos a gás

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Avaliação da Directiva Máquinas 2006/42/EC


Publicado hoje pela Comissão Europeia, este guia apresenta o estudo de avaliação que foi efectuado com a colaboração de muitas partes interessadas e que demosntra os enormes benefícios que a publicação e adopção da Directiva Máquinas trouxe para a indústria e para o mercado europeu.

Link: aqui

"The overall conclusion is that the Directive is generally relevant, effective, efficient, coherent and has EU added value. However, a need for greater legal clarity of some of its provisions and better coherence with other legislation has been identified. In addition, the evaluation indicated that shortcomings in monitoring and enforcement of the Directive have affected its effectiveness. It further detected some administrative requirements that affect the efficiency of the directive and could be simplified. The evaluation shows that the Directive, underpinned by the New Approach principles, is sufficiently flexible to allow technological developments in a digital era.  Yet, new innovations in digitisation may test Directive's effectiveness and fitness for purpose going forward."

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Prevalence of occupational exposure to respirable crystalline silica in the metal working industries: transferring research into industrial practice



De autoria de Cláudia Fernandes, Cláudia Ribeiro, Rita Aguiã, Mónica Henriques do CATIM, foi publicado o artigo "Prevalence of occupational exposure to respirable crystalline silica in the metal working industries: transferring research into industrial practice"

Link: aqui

sexta-feira, 20 de abril de 2018

What is Lean Thinking and its 3 pillars




Formação CATIM!
10, 11 e 17 e maio das 9:30 às 17:30 no Catim Porto

Alguns dos tópicos a abordar ...
1. Estratégias para potenciar a produtividade e competitividade
2. Produção em massa vs Just-in-Time
3. Ferramentas LEAN: Kanban, Kaizen, Poka-Yoke,TPM, SMED, Just-in-time, Milk Run ...


terça-feira, 17 de abril de 2018

Publicação de documentos normativos com origem no trabalho das Comissões Técnicas do ONS CATIM

Foram publicados durante o presente mês de abril os seguintes documentos normativos resultantes do trabalho de Comissões Técnicas coordenadas pelo ONS CATIM:


NP EN 203-2-1:2018
Aparelhos de cozinha profissional que utilizam combustíveis gasosos
Parte 2-1: Requisitos específicos Queimadores descobertos e queimadores “wok”


NP EN 15502-1:2012+A1:2018
Caldeiras de aquecimento central que utilizam os combustíveis gasosos
Parte 1: Requisitos gerais e ensaios


NP EN 15502-2-1:2012+A1:2018
Caldeiras de aquecimento central que utilizam os combustíveis gasosos
Parte 2-1: Norma específica para os aparelhos de tipo C e os aparelhos de tipos B2, B3 e B5 com caudal térmico nominal inferior ou igual a 1000 kW


NP EN 15502-2-2:2018
Caldeiras de aquecimento central que utilizam os combustíveis gasosos
Parte 2-2: Norma específica para os aparelhos de tipo B1

terça-feira, 10 de abril de 2018

Certificado nº 1 emitido pela Unidade de Certificação de Produtos do CATIM


Foi emitido o primeiro certificado pela Unidade de Certificação de Produtos do CATIM no passado dia 6,  no âmbito do novo reconhecimento do CATIM como Organismo Notificado baseado também na nova acreditação IPAC de acordo com a Norma EN ISO/IEC 17065.
Este primeiro certificado é relativo a um Exame UE de Tipo (Módulo B) no âmbito do novo Regulamento UE 2016/426 aplicável aos Aparelhos a Gás, regulamento que entrará em vigor a partir do próximo dia 21 de Abril. 

Âmbitos do reconhecimento do CATIM como Organismo Notificado baseado na acreditação acima referida:



sexta-feira, 6 de abril de 2018

Lista de Documentos Normativos Editados


Mensalmente o IPQ - Instituto Português da Qualidade publica no seu site uma lista de documentos normativos editados e em todas elas é visível a intensa actividade das comissões técnicas de normalização coordenadas pelo Organismo de Normalização Sectorial CATIM (ONS Catim)!
Consulte aqui a lista de Março de 2018!

terça-feira, 3 de abril de 2018

APARELHOS A GÁS: Regulamento (UE) 2016/426 entra em aplicação no próximo dia 21 de Abril!


Descarregar o Regulamento: aqui

A actual Diretiva 2009/142/CE relativa aos Aparelhos a Gás vai ser substituída pelo Regulamento (UE) 2016/426 a partir de 21 de Abril de 2018.


Tal significa que a partir dessa data os fabricantes deverão evidenciar o cumprimento do referido regulamento quer nos produtos novos, quer nos ainda não colocados no mercado, sendo a Diretiva 2009/142/CE revogada nessa mesma data.

Esta avaliação é efectuada através de um procedimento de avaliação da conformidade junto de um Organismo Notificado através da realização de um Exame EU de Tipo (Módulo B – Tipo de produção) em combinação com um dos seguintes módulos:
- Módulo C2: Conformidade com o tipo baseada no controlo interno da produção e controlos supervisionados do produto a intervalos aleatórios
- Módulo D: Conformidade com o tipo baseada na garantia de qualidade do processo de produção
No caso de um aparelho ou equipamento ser produzido numa única unidade ou em quantidades muito reduzidas, o fabricante pode optar por um dos procedimentos anteriores ou pela conformidade baseada na verificação por unidade (Módulo G).

O CATIM, reconhecido em Janeiro passado como Organismo Notificado para o Regulamento (UE) 2016/426  para os módulo anteriores, entrou já em contacto com todos os fabricantes clientes tradicionais neste domínio, para os informar deste novo enquadramento e requisitos, tendo já iniciado a aplicação destes procedimentos de conformidade com todos aqueles que já mostraram interesse.
Face ao volume de trabalho expectável para um prazo tão curto de entrada em aplicação do novo Regulamento, que obriga a um significativo processo que inclui a análise da documentação técnica a disponibilizar pelos fabricantes com os relatórios de ensaios anteriores e a apreciação do risco, solicita-se a maior atenção e prioridade a este assunto por parte destes.
O acumular de processos acarretará um risco de não ser possível responder de forma atempada a todos os que necessitam desta nova avaliação da conformidade, condição necessária para que possam colocar ou continuar a colocar os seus produtos no mercado.
Para mais informações, queiram p.f. contactar:

CATIM - Unidade de Certificação de Produtos

Engª Filipa Lima

Engª Marta Mendes

Telefone: 226159000

segunda-feira, 2 de abril de 2018

CATIM participou no SHO 2018 - International Symposium on Occupational Safety and Hygiene


No passado dia 27, Marta Sousa do CATIM apresentou o artigo "Risk factos in manual handling loads: Analysis of packaging worplace" de sua autoria e de Paula Carneiro e Ana Colim da Universidade do Minho.
Este importante evento realizou-se na Universidade do Minho, em Guimarães e foi organizado pela
Sociedade Portuguesa de Segurança e Higiene Ocupacionais
Mais informações sobre este importante evento poderá aceder aqui: https://www.sposho.pt/sho-2018/

quarta-feira, 28 de março de 2018

GD&T - Toleranciamento Dimensional e Geométrico, 16 e 17 de Abril



Um dos muitos curso da oferta formação CATIM!

OBJETIVOS
No final da ação os formandos deverão ser capazes de:
       1. Compreender os princípios gerais do toleranciamento e as vantagens da sua aplicação;
       2. Conhecer e identificar a terminologia e a simbologia utilizada no toleranciamento de peças segundo a ISO 1101 - Especificação Geométrica de Produtos (GPS).

DESTINATÁRIOS
Técnicos de Laboratório de empresas da Indústria Metalomecânica e sectores afins, com formação média (recomendado como habilitações académicas o 12º ano de escolaridade).

Mais informações e inscrições: aqui



segunda-feira, 26 de março de 2018

Directiva Máquinas

Directiva 2006/42/CE de 17 de Maio
Decreto Lei 103/2008 de 24 de Junho
Âmbito de aplicação:

Na colocação no mercado e entrada em serviço, o fabricante ou o seu mandatário devem:
-  certificar-se que a máquina cumpre com os requisitos essenciais de segurança e saúde (enunciados no Anexo I)
- certificar-se que o processo técnico de fabrico está disponível  (Anexo VII)
- fornecer o manual de instruções ou de montagem (Anexo VI)
- efectuar os procedimentos de avaliação da conformidade adequados
- emitir a declaração CE de conformidade / incorporação (Anexo II) e certificar-se que a mesma acompanha a máquina / quase-máquina
- Apor a marcação CE na máquina

Mais informações: catim@catim.pt
Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos
Unidade de Certificação de Produtos (Organismo Notificado nº 0464)

quarta-feira, 21 de março de 2018

Seminário sobre segurança de máquinas no ISEP



Realizou-se no passado dia 9 de Março e dirigido aos alunos de cursos de pós-graduação e de mestrado do ISEP um seminário sobre a temática da segurança de máquinas tendo como orador o Eng. Francisco Silva da Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos e da Unidade de Certificação de Produtos do CATIM.
O CATIM está reconhecido como Organismo Notificado para a Directiva Máquinas desde 1994, estanho neste momento também acreditado como Organismo de Certificação de Produtos pelo IPAC com base na Norma NP EN ISO/IEC 17065: 2014.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Formação sobre segurança de máquinas


O CATIM realizou recentemente uma sessão de formação sobre segurança de máquinas na Empresa CHETO CORPORATION, S.A (https://www.cheto.eu/pt) no âmbito de uma acção mais ampla de avaliação da conformidade com a Directiva Máquinas.
A CHETO CORPORATION concebe e fabrica máquinas de grande porte, tecnologicamente muito evoluídas sob o conceito «Working all around the part in a single setup (mold industry)».
Este tipo de acções do CATIM com as empresas fabricantes de máquinas, associando a formação à avaliação da conformidade e apreciação dos riscos, tem demonstrado uma elevada eficácia, permitindo transferir conceitos, princípios, práticas e conhecimentos incluídos no extenso corpo normativo e requisitos legislativos aplicáveis.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Secretária de Estado da Indústria visita o CATIM

A Secretária de Estado da Indústria, Prof. Ana Teresa Lehmann, visitou hoje as instalações do CATIM no Porto!

segunda-feira, 12 de março de 2018

Nova abordagem - Directivas


http://www.newapproach.org/

"The New Approach and European standardisation have contributed significantly to the development of the Single Market. The success of the European standardisation system, in removing technical barriers to trade, has played a vital role in ensuring the free movement of goods between Member States."

quinta-feira, 8 de março de 2018

Dia Mundial da Mulher


Hoje é o Dia Mundial da Mulher!

"Achieving gender equality and empowering women and girls is the unfinished business of our time, and the greatest human rights challenge in our world."
UN Secretary-General, António Guterres
...
E as mulheres (e homens) do CATIM não se esqueceram deste dia!

quarta-feira, 7 de março de 2018

Regulamento 2016/426 (Aparelhos a Gás) entra em aplicação no dia 21 de Abril de 2018!


Descarregar o Regulamento: aqui

A actual Diretiva 2009/142/CE relativa aos Aparelhos a Gás vai ser substituída pelo Regulamento (UE) 2016/426 a partir de 21 de Abril de 2018.


Tal significa que a partir dessa data os fabricantes deverão evidenciar o cumprimento do referido regulamento quer nos produtos novos, quer nos  ainda não colocados no mercado, sendo a Diretiva 2009/142/CE revogada nessa mesma data.

Esta avaliação é efectuada através de um procedimento de avaliação da conformidade junto de um Organismo Notificado através da realização de um Exame EU de Tipo (Módulo B – Tipo de produção) em combinação com um dos seguintes módulos:
- Módulo C2: Conformidade com o tipo baseada no controlo interno da produção e controlos supervisionados do produto a intervalos aleatórios
- Módulo D: Conformidade com o tipo baseada na garantia de qualidade do processo de produção
No caso de um aparelho ou equipamento ser produzido numa única unidade ou em quantidades muito reduzidas, o fabricante pode optar por um dos procedimentos anteriores ou pela conformidade baseada na verificação por unidade (Módulo G).

O CATIM, reconhecido em Janeiro passado como Organismo Notificado para o Regulamento (UE) 2016/426  para os módulo anteriores, entrou já em contacto com todos os fabricantes clientes tradicionais neste domínio, para os informar deste novo enquadramento e requisitos, tendo já iniciado a aplicação destes procedimentos de conformidade com todos aqueles que já mostraram interesse.
Face ao volume de trabalho expectável para um prazo tão curto de entrada em aplicação do novo Regulamento (21 do próximo mês de Abril), que obriga a um significativo processo que inclui a análise da documentação técnica a disponibilizar pelos fabricantes com os relatórios de ensaios anteriores e a apreciação do risco, solicita-se a maior atenção e prioridade a este assunto por parte destes.
O acumular de processos acarretará um risco de não ser possível responder de forma atempada a todos os que necessitam desta nova avaliação da conformidade, condição necessária para que possam colocar ou continuar a colocar os seus produtos no mercado.
Para mais informações, queiram p.f. contactar:

CATIM - Unidade de Certificação de Produtos

Engª Filipa Lima

Engª Marta Mendes

Telefone: 226159000

segunda-feira, 5 de março de 2018

CATIM, Centro de Interface Tecnológico (CIT)



No âmbito do Programa INTERFACE e de acordo com Despacho Ministerial n.º 10252/2017 (Diário da República, 2.ª série, N.º 227, 24 de novembro), o CATIM foi reconhecido como Centro de Interface Tecnológico (CIT).

O Programa INTERFACE consiste numa iniciativa governamental incluída no Plano Nacional de Reformas e tem como principal objetivo acelerar a transferência de tecnologia das universidades para as empresas, potenciar a certificação dos produtos, aumentar a competitividade da economia portuguesa e das empresas nos mercados nacional e internacional.

Os Centros de Interface Tecnológico surgem neste âmbito como elos de ligação entre as instituições de ensino superior e as empresas, dedicando-se à valorização de produtos e serviços e à transferência de tecnologia, atuando de forma a:

  • Dinamizar atividades de I&D&I;
  • Dinamizar a integração de conhecimentos científicos e tecnológicos e a sua valorização e transferência;
  • Estimular a procura, difusão e demonstração de novas tecnologias e soluções inovadoras;
  • Promover a formação de recursos humanos altamente qualificados, nomeadamente mestrados e doutoramentos;
  • Prestar serviços especializados às empresas.


quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Brinquedos, produtos de cuidado infantil, equipamentos de desporto e lazer


É um dos muitos âmbitos incluídos na acreditação do Laboratório de Ensaios do CATIM pelo IPAC - Instituto Português de Acreditação.
Alcofas, berços, brinquedos, cadeiras altas, camas, carrinhos... um mundo de coisas para os bebés e crianças, que também são ensaiados no Laboratório de Ensaios do CATIM!
Para um completa informação sobre os estes ensaios acreditados, pode aceder aqui ao Anexo Técnico de Acreditação Nº L0009-1

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Avaliação ou Apreciação do Risco?

Nos documentos normativos relativos à gestão do risco (ISO 31000), a atividade de risk assessment (apreciação do risco) é dividida em 3 etapas:

    - risk identification (identificação do risco)

    - risk analysis (análise do risco)

    - risk evaluation (avaliação do risco). 

A primeira etapa – identificação do risco - corresponde à identificação, levantamento e caracterização de todos os riscos reais e potenciais que uma organização está exposta, independentemente das suas consequências.

Na segunda etapa – análise do risco -  a organização irá analisar a probabilidade de ocorrência e detalhar as consequências associadas a todos os riscos identificados anteriormente. Em função disso irá atribuir valores, mesmo que qualitativos, a cada um dos riscos identificados.

Na terceira etapa – avaliação do risco - a organização irá comparar os valores obtidos na segunda etapa e compará-los com os seus critérios do risco ordenando-os, desta forma, por ordem de relevância.

O tratamento de cada um dos riscos será baseado, entre outros aspetos, nesta apreciação global de todos os riscos a que uma organização esteja exposta.

Pelo exposto, "risk assessment" deve ser traduzido por "apreciação do risco" e não por "avaliação do risco", pois este termo só se refere a uma das etapas do processo global. 


Fonte: Terminologia portuguesa da Gestão do Risco (Comissão Técnica 180 – Gestão do Risco)
Site: IPQ

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Tomografia Industrial Computorizada


O CATIM vai realizar no próximo dia 23 de fevereiro, nas suas instalações em Braga, um OpenDay dedicado ao tema “Tomografia Industrial Computorizada”, que surge no âmbito do projeto TransTec.I&I.
Esta sessão tem como principal objetivo promover momentos de interação, de difusão e de apoio ao processo de inovação, através do contacto com novas tecnologias e diferentes players, permitindo a transferência de know-how e de tecnologia na área da Metrologia.
Este é um dos vários eventos previstos dedicados ao tema.

Para efetuar a sua inscrição: vania.pacheco@catim.pt

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

6ª reunião do ISO/TC 199 WG12 - Human Machine Interactions



Alberto Fonseca da Unidade de Engenharia e Segurança de Equipamentos do CATIM participou em mais uma reunião do ISO/TC 199 WG12 - Human machine Interactions (6th meeting) que se realizou nos passados dias 14 e 15 de Fevereiro em Kyoto no Japão.

Nesta reunião, que contou com a presença de 13 peritos em representação de 5 países, Estados Unidos da América, Japão, Portugal, Reino Unido e Coreia do Sul, foram analisados os resultados da votação e comentários ao documento ISO/CD 21260 (E) - Safety of Machinery - Mechanical safety data for physical contacts between moving machinery and people (Norma tipo B1)

Este é um tema de especial importância para a indústria pela crescente utilização dos chamados robots colaborativos. O CATIM tem vindo a seu solicitado a realizar diversas apreciações do risco relativos à utilização deste tipo de equipamentos em diversos sectores industriais, tendência que se começa a revelar também em Portugal, especialmente nas instalações fabris das grandes corporações internacionais.

De seguida, um dos muitos vídeos sobre robots colaborativos que estão disponíveis na internet.


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

ISO 9001:2015 - Operacionalizar a Transição, Formação CATIM 21 de Fevereiro!



Mais informações e inscrições: aqui

As organizações certificadas pela ISO 9001: 2008 têm até Setembro de 2018 para garantir o processo de transição para a versão de 2015 realizando os devidos ajustamentos ao seu Sistema de Gestão da Qualidade.
A ISO 9001 é uma norma que define os requisitos para um sistema de gestão da qualidade, ajudando as empresas e organizações a serem mais eficientes e a melhorar a satisfação dos seus clientes.
A nova versão da ISO 9001 apresenta algumas alterações em relação à versão anterior, alterações que vão de encontro às grandes tendências e desafios que se colocam hoje em dia às organizações que se movem num mundo mais global, em cadeias de valor mais complexas e num ambiente mais volátil e multidimensional.
As principais alterações incidem:
- no compromisso da liderança
- na importância da definição do contexto da organização na concepção e implementação do SGQ, com clara identificação das partes interessadas
- na abordagem estruturada aos riscos e oportunidades organizacionais
- na abordagem à gestão da cadeia de fornecimentos
- na terminologia e estrutura utilizada facilitando a integração com outros sistemas organizacionais (exemplo ambiente e segurança).

A Unidade da Qualidade e Inovação do CATIM apoia as empresas neste processo de transição para a nova norma através das seguintes acções:
- caraterização atual do SGQ
- definição e orientação na implementação de um plano para a transição
- formação sobre os novos princípios e requisitos
- auditoria interna
- acompanhamento durante o processo de certificação

Consulte-nos! Unidade da Qualidade e Inovação
catim@catim.pt

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Ensaios de tracção


São alguns dos imensos serviços que o Laboratório de Ensaios do CATIM presta à indústria!
Consulte o Anexo Técnico de Acreditação e/ou contacte-nos!

Este laboratório incorpora toda a história do CATIM... pois na sua génese em 1980 esteve a criação do Laboratório de Apoio Tecnológico ao Material de Queima (LMQ), que mais tarde em 1985 originou a Unidade Térmica Industrial.
O LMQ foi inicialmente instalado numa área de 500 m2 alugada no Hiper-Centro, na Rua do Rio, à Areosa (Porto), e produziu os primeiros resultados de ensaios para certificação de aparelhos a gás e seus acessórios em Julho de 1981.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

O processo de Normalização Nacional


Para os que não sabem, para aqueles que desejam relembrar...
No site do IPQ explica-se o que é o processo de Normalização Nacional.
O CATIM é reconhecido como Organismo de Normalização sectorial coordenando 14 Comissões Técnicas de Normalização! Veja aqui a sua actividade em 2017!

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

CATIM reconhecido como Organismo Notificado - Directiva 2014/68/EU (Panelas de Pressão)




Por força de mudança do referencial normativo de acreditação, o CATIM foi recentemente acreditado pelo IPAC como Organismo de Certificação (Norma EN ISO/IEC 17065) e em sequência solicitou a actualização do seu reconhecimento como Organismo Notificado à luz deste referencial, o que agora veio a acontecer.
O CATIM mantinha até agora o seu reconhecimento neste âmbito baseado na acreditação como Organismo de Inspecção (Norma EN ISO/IEC 17020) e teria até ao ano de 2020 para adoptar o novo referencial, tendo-o conseguido com mais de 2 anos de antecedência.
Para sustentar esta nova acreditação e desenvolvimento das actividades de Marcação CE no domínio da Directiva Máquinas, Aparelhos a Gás e Recepientes sob Pressão (Panelas de Pressão) o CATIM criou um novo departamento, a UCP - Unidade de Certificação de Produtos.


Para mais informações, queiram por favor contactar:
Engª Filipa Lima - Unidade de Certificação de Produtos
telefone: 226159000

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

CATIM reconhecido como Organismo Notificado para a Directiva 2006/42/EC (Máquinas)



Por força de mudança do referencial normativo de acreditação, o CATIM foi recentemente acreditado pelo IPAC como Organismo de Certificação (Norma EN ISO/IEC 17065) e em sequência solicitou a actualização do seu reconhecimento como Organismo Notificado à luz deste referencial, o que agora veio a acontecer.
O CATIM mantinha até agora o seu reconhecimento neste âmbito baseado na acreditação como Organismo de Inspecção (Norma EN ISO/IEC 17020) e teria até ao ano de 2020 para adoptar o novo referencial, tendo-o conseguido com mais de 2 anos de antecedência.
Para sustentar esta nova acreditação e desenvolvimento das actividades de Marcação CE no domínio da Directiva Máquinas, Aparelhos a Gás e Recepientes sob Pressão (Panelas de Pressão) o CATIM criou um novo departamento, a UCP - Unidade de Certificação de Produtos.


Para mais informações, queiram por favor contactar:
Engª Filipa Lima - Unidade de Certificação de Produtos
telefone: 226159000

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

CATIM reconhecido como Organismo Notificado para o Regulamento 2016/426 - Aparelhos a Gás



O CATIM acaba de ser reconhecido como Organismo Notificado (renotificação) para o Regulamento 2016/426 - Aparelhos a Gás!
O CATIM era já reconhecido como ON neste âmbito mas para a Directiva em vigor (09/142/CE) que irá ser substituída pelo Regulamento acima referido a partir de 21 de Abril deste ano.
Para ser novamente notificado, o CATIM teve que adoptar a Norma EN ISO/IEC 17065 (Organismo de Certificação) e ser acreditado pelo IPAC - Instituto Português de Acreditação, o que alcançou no fim de Dezembro passado.
Para sustentar esta nova acreditação o CATIM criou um novo departamento, a UCP - Unidade de Certificação de Produtos que congrega toda a actividade de Marcação CE nos domínios dos Aparelhos a Gás, Máquinas e Panelas de Pressão.
Os fabricantes de Aparelhos a Gás terão também que certificar os seus equipamentos à luz do novo regulamento pois senão o fizerem serão impedidos de os colocar no mercado a partir de 21 de Abril.
Para mais informações, queiram por favor contactar:
Engª Filipa Lima - Unidade de Certificação de Produtos
telefone: 226159000



quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

ONS CATIM - Organismo de Normalização Sectorial, actividade em 2017


Alguns indicadores da actividade  do ONS CATIM em 2017:

-  14 Comissões Técnicas
-  10 Subcomissões
-  09 Grupos de Trabalho
-  354 membros
-  67 reuniões nacionais
-  participação em reuniões internacionais:
            - CEN: 38
            - ISO: 9

- nº de pareceres / votos europeus e internacionais
           - CEN: 412
           - ISO : 155


Normas enviadas ao IPQ para publicação:

CT 12

NP EN 10223-3 - Arames e produtos trefilados de aço para redes e vedações; Parte 3: Redes hexagonais de arame de aço para utilização em engenharia civil
NP EN 10223-4 - Arames e produtos trefilados de aço para redes e vedações; Parte 4: Redes de arame de aço soldado

CT 18

NP EN 19 - Válvulas industriais; Marcação das válvulas metálicas
NP EN 1171* - Válvulas industriais. Válvulas de corrediça de ferro fundido
NP EN 1349* - Válvulas de controlo dos processos industriais
NP EN 1564* - Fundição; Ferros fundidos ausferríticos de grafite esferoidal
NP EN 1759-3/AC* - Flanges e suas ligações; Flanges circulares para tubagens, válvulas, acessórios e ligações, designação de Classe. Parte 3: Flanges de ligas de cobre
NP EN 4126-5* - Dispositivos de segurança para proteção contra pressões excessivas. Parte 5: Sistemas de alívio de pressão com descarga controlada (CSPRS) (ISO 4126-5:2013)
NP EN 10216-1* - Tubos sem costura de aço para aplicações sob pressão. Condições técnicas de fornecimento. Parte 1: Tubos de aço não ligado com características especificadas à temperatura ambiente
NP EN 10305-4* - Tubos de precisão de aço. Condições técnicas de fornecimento. Parte 4: Tubos sem costura estirados a frio para circuitos hidráulicos e pneumáticos
NP EN 10305-6* - Tubos de precisão de aço. Condições técnicas de fornecimento. Parte 6: Tubos soldados e estirados a frio para circuitos hidráulicos e pneumáticos

CT 34

NP EN 485-4 (nova edição) - Alumínio e ligas de alumínio; Chapas, fitas e placas; Parte 4: Tolerâncias de forma e de dimensões dos produtos laminados a frio
NP EN 755-9 - Alumínio e ligas de alumínio. Barras tubos e perfis extrudidos. Parte 9: Perfis, tolerâncias nas dimensões e na forma
NP EN 1653:1997+A1* - Cobre e ligas de cobre. Placas, chapas e discos para caldeiras, reservatórios sob pressão e unidades de armazenagem de água quente
NP EN 12452* - Cobre e ligas de cobre. Tubos sem costura com alhetas para permutadores de calor
NP EN 12735-1* - Cobre e ligas de cobre. Tubos redondos sem costura para ar condicionado e refrigeração. Parte 1: Tubos para sistemas de tubagem

CT 36

NP EN 30-1-2* - Aparelhos domésticos para preparação dos alimentos que utilizam combustíveis gasosos – Segurança. Parte 1-2: Aparelhos com fornos e/ou grelhadores de convecção forçada
NP EN 30-2-1* - Aparelhos domésticos para preparação de alimentos que utilizam os combustíveis gasosos. Parte 2-1: Utilização racional de energia. Generalidades
NP EN 203-2-1* - Aparelhos de cozinha profissional que utilizam combustíveis gasosos. Parte 2-1: Requisitos particulares – Queimadores descobertos e queimadores “wok”
NP EN 417* - Cartuchos metálicos para gases de petróleo liquefeitos, não recarregáveis, com ou sem válvula, destinados a alimentar aparelhos portáteis. Construção, controlo e marcação
NP EN 676:2003+A2* - Queimadores automáticos de ar forçado que utilizam combustíveis gasosos
NP EN 13203-4* - Aparelhos domésticos que produzem água quente sanitária e que utilizam combustíveis gasosos. Parte 4: Avaliação do consumo energético de aparelhos a gás mistos de calor e de eletricidade (mCHP) que produzem água quente e eletricidade
NP EN 15181* - Método de medição do consume de energia de fornos a gás
NP EN 15502-2-1+A1* - Caldeiras de aquecimento central que utilizam os combustíveis gasosos -  Parte 2-1: Norma específica para os aparelhos de tipo C e os aparelhos de tipos B2, B3 e B5 com caudal térmico nominal inferior ou igual a 1000 kW
NP EN 15502-2-2* - Caldeiras de aquecimento central que utilizam os combustíveis gasosos. Parte 2-2: norma específica para os aparelhos de tipo B1
NP EN 16436+A1 (errata) - Tubos de borracha e de plástico, tubos e conjuntos para utilização com o propano, o butano e as suas misturas na fase gasosa. Parte 1: Tubos reforçados e tubos

CT 40

NP EN ISO 12100 - Segurança de máquinas - Princípios gerais de conceção – Apreciação do risco e redução do risco

CT 122

NP EN 71-7* - Segurança de brinquedos. Parte 7: Tintas para serem usadas com as mãos. Requisitos e métodos de ensaio
NP EN 1272* - Artigos de puericultura. Cadeiras de fixar na mesa. Requisitos de segurança e métodos de ensaio
NP EN 13209-2* - Artigos de puericultura. Porta-bebés - Requisitos de segurança e métodos de ensaio. Parte 2: Marsúpio

CT 178

NP EN 16282-4 - Equipamento para cozinhas profissionais; Elementos de ventilação para cozinhas profissionais; Parte 4: Entradas e saídas de ar - Conceção e requisitos de segurança

*FPA – Framework Partnership Agreement


Nota: colaboração de Susana Silva / Alexandra Peixoto do ONS CATIM na elaboração deste post.